Menu
Rua Otto Benack, 300 - Sala 2
Bom Retiro - Joinville / SC Ver No Mapa
PLUGGED • 20/03 • Marketing Digital

Chatbots: o que você precisa saber antes de começar a usar

Por
Paula Leão

Você provavelmente já deve ter ouvido falar que os chatbots - e qualquer outro tipo de bot - são o futuro. Por que eles estão com tudo? Quais os desafios que essa nova estratégia traz ao mercado? No texto abaixo você encontra as respostas e tudo o que você precisa saber antes de começar a usar. Confira!

Por definição, um bot nada mais é do que um programa de computador que automatiza determinadas tarefas, geralmente conversando com um usuário por meio de uma interface conversacional. Os bots mais avançados são alimentados por inteligência artificial, ajudando a entender solicitações complexas, personalizar respostas e melhorar as interações ao longo do tempo.

De acordo com uma pesquisa da Forrester, 5% das empresas em todo o mundo disseram que estavam usando chatbots regularmente em 2016 e 32% planejavam usá-las ou testá-las em 2017. À medida que mais e mais marcas participam da corrida, surge a necessidade de entender a tecnologia e construir bots úteis e que conversem da maneira certa com o cliente.

O surgimento dos bots são parte de uma mudança maior que pode ser vista no comportamento do consumidor nos últimos anos. Como a regra da vez é a otimização do tempo, no mesmo instante em que pesquisam, as pessoas anseiam por informações rápidas. Prova disso é o crescimento da pesquisa por voz, à medida que a tecnologia avança.

Como, as caixas de entrada dos e-mails estão a cada dia mais repletas de informações indesejadas e confusas, os clientes recorreram às redes sociais para seguir apenas as marcas com as quais realmente se importam. Quando chegam nesses canais, se deparam com bots, principalmente os chatbots, dispostos a resolverem seus problemas de uma maneira prática e rápida.

Contudo, quando não proporcionam uma experiência tão eficiente e agradável, especialmente em relação às conversas que as pessoas estão acostumadas a ter com outros seres humanos, os bots fracassam. Quem nunca teve uma conversa frustrada com um chatbot que atire a primeira pedra.

Quais os desafios para o futuro?

Para que os chatbots e seus outros formatos façam parte das estratégias de marketing de uma forma mais abrangente, o desafio para o futuro não é evoluir apenas no quesito técnico, mas em comunicação. A grande questão é entender as interações do público com a marca e aproveitar a interface de bate-papo de uma maneira útil aos usuários.

A missão principal de um bot é fornecer um serviço que as pessoas realmente queiram usar e na hora em que elas mais precisam. Os melhores bots aproveitam as microdecisões que os consumidores vivenciam diariamente e vêem isso como uma oportunidade para ajudar. Seja ajustando uma reserva, atualizando as informações de envio para um pedido ou dando conselhos psicológicos, como o caso da Eurekka.

O Eurekka é um robô ajuda a lidar com emoções difíceis, aumentar a produtividade e aprender Psicologia - tudo pelo chat do Facebook. Com um simples oi, qualquer pessoa já consegue interagir, já que o bot oferece opções a cada interação para facilitar o processo de conversação. As interações são tão minuciosas e bem pensadas, que dificilmente o usuário precisa perguntar ou levar muito tempo para encontrar o que precisa.

Utilizando chatbots na minha empresa

Antes de partir para a criação de um chatbot mais robusto como os oferecidos pela BLiP, Globalbot e Huggy, um ótimo primeiro passo é aproveitar os recursos oferecidos pelos chatbots dentro do Facebook, como o Messenger, que já permite automatizar respostas na plataforma.

Além disso, lembre-se de que assim como qualquer outra estratégia de marketing, o uso de chatbots também precisa possuir objetivos definidos e facilitar a comunicação entre a marca e o consumidor. Do contrário, será apenas mais um canal com grandes chances de gerar problemas ao invés de soluções.

Quer saber mais como os chatbots podem ajudar a sua empresa? Entre em contato com a Volts aqui!

Compartilhe este post:
Vamos Começar um Orçamento? Como Podemos Ajudar?